Pesquisar nesta área
InfoO Museu Geológico 

 

O Museu Geológico, que actualmente faz parte do Laboratório Nacional de Energia e Geologia, começou a constituir-se por volta de 1859, quando a Comissão Geológica do Reino se instalou no 2º. Piso do antigo Convento de Jesus, a partir dos exemplares recolhidos nos trabalhos das Comissões Geológicas e, mais tarde, dos Serviços Geológicos de Portugal, do Instituto Geológico e Mineiro e, actualmente, do Laboratório de Geologia e Minas do LNEG.

A recolha dessas amostras: fósseis, rochas, minerais e objectos arqueológicos, deve-se em boa parte, aos investigadores da Instituição, por entre os quais se salientam os pioneiros da Geologia portuguesa: Carlos RibeiroNery DelgadoPaul Choffat e outros. Essas amostras constituem, hoje, colecções de referência ao serviço da comunidade científica, sendo constantemente consultadas por investigadores nacionais e estrangeiros. As colecções continuam a ser enriquecidas pelas colheitas realizadas durante os actuais trabalhos de cartografia geológica do LGM (LNEG).

O Museu Geológico situa-se, ainda hoje, no local onde nasceram a Geologia e a Arqueologia portuguesas, há mais de 150 anos, o que lhe confere um valor ímpar no contexto histórico museológico nacional.

A disposição das colecções, o seu mobiliário expositivo e a arquitectura interior reflectem, em muito, o tipo de museologia do séc. XIX, de que já restam poucos na Europa, o que o faz ser considerado, pelos especialistas, como um “Museu dos Museus”.

Mantendo essas características, tem-se procurado, actualizar a exposição e melhorar os seus aspectos pedagógicos, tendo em vista, também, os alunos das escolas e o público não-especialista.

O Museu Geológico faz parte da Rêde Portuguesa de Museus e, recentemente (2010), foi classificado como “Imóvel de Interêsse Público”,: atendendo ao “incalculavel valor científico das colecções que conserva e ao seu integro espaço expositivo que é já uma referência por si próprio, da museografia oitocentista, dos seus sistemas classificatórios e de apresentação de peças, na verdade um “museu dos museus” de história mineralógica, paleontológica e arqueológica, cujo reconhecimento e preservação deverão ser acautelados no âmbito da classificação do conjunto ( in: Portaria nº. 1176/2010 de 24 de Dezembro de 2010).