Palestra "Património geológico e mineiro da Zona Sul Portuguesa, fundamentos para o desenvolvimento de Geoparques no Alentejo"

No passado dia 9 de setembro, realizou-se no LNEG, a Palestra "Património geológico e mineiro da Zona Sul Portuguesa, fundamentos para o desenvolvimento de Geoparques no Alentejo".

Oradores: João Matos; Zelia Pereira; José Tomás Oliveira; Ricardo Ressurreição, Rúben Dias

Resumo da Palestra:

Localizada no SW Ibérico, a Zona Sul Portuguesa apresenta uma geodiversidade muito importante, patente em sequências vulcânicas e sedimentares de idade carbónica e devónica. Destacam-se neste contexto as mineralizações da Faixa Piritosa Ibérica, como os jazigos de sulfuretos maciços vulcanogénicos e as ocorrências de óxidos e carbonatos de manganês e de veios de Cu, Ba(Pb) e Sb. Os geossítios de maior interesse geológico e mineiro têm sido caracterizados pelo LNEG através de programas de cartografia geológica, apoiados por estudos de estratigrafia, de palinologia, de vulcanologia e de geologia estrutural.

Através de projetos como o RUMYS (CYTED) ou o ATLANTERRA (Interreg Espaço Atlântico), o LNEG tem promovido a consolidação da Rota da Pirite, uma rede de património geológico-mineiro que inclui infraestruturas como o Centro Ciência Viva do Lousal, os museus de Aljustrel e Entradas, a Casa do Mineiro de São Domingos e o Trilho Geológico de Beja.

Nesta palestra apresentam-se os melhores casos de estudo, nomeadamente as áreas mineiras de Lousal, Aljustrel e São Domingos, os vales dos rios Guadiana, Chança, Sado e Mira e o litoral alentejano. A distribuição de geossítios e a diversidade das regiões com maior interesse geológico e mineiro constituem argumentos científicos para o desenvolvimento de projetos de tipo Geoparque, os quais terão sempre o apoio do LNEG.

Localização e contactos


9 de setembro | 11:30h | Auditório do LNEG, Alfragide

Pesquisar nesta área