Ir para conteúdo
PT EN LOGIN LOGIN
apelo-a-maior-colaboracao-na-modelacao-para-lidar-com-os-desafios-da-transicao-energetica

Apelo a maior colaboração na modelação para lidar com os desafios da transição energética


Apelo a maior colaboração na modelação para lidar com os desafios da transição energética
alarmData de Publicação: 13 Dezembro, 2023Categoria: Investigação , Notícias Internacionais


Foi publicado o relatório da EERA – European Energy Research Alliance, apelando a uma maior colaboração dos cientistas na modelação de sistemas energéticos que apoia a política energética e climática da União Europeia.

O documento, da autoria de 31 cientistas europeus (incluindo do LNEG), apela a:

  1. Mais transparência na modelação energética e climática europeia;
  2. Maior envolvimento da comunidade científica dos diversos estados-membros para melhoria do âmbito/resultados dos cenários modelados.

Os modelos de energia e clima são a base da política europeia (e nacional) nestes temas. No entanto, existem lacunas na forma como são utilizados.

Assim, apelamos a um maior envolvimento da comunidade científica europeia, para além da simples revisão de cenários como foi feito para pacotes de política tão relevantes para os Europeus como o “Fit-for-55”, “REPowerEU” e o novo processo de modelação climática para 2040. Até à data, os cientistas dos diversos estados-membros apenas são chamados a fornecer informações sobre pressupostos e parâmetros. Desta forma não é possível adequar os modelos e cenários europeus à realidade dos estados-membros, nem capitalizar o enorme grau de conhecimento e modelos nacionais detidos pela comunidade de investigação. Além disso, torna-se mais difícil considerar adequadamente os múltiplos desafios da transição energética, como a alteração de infraestruturas, o comportamento dos mercados, dos diferentes atores, limitações de cadeias de abastecimento e outras fontes de incerteza.

Apelamos assim a maior colaboração tanto à escala europeia como entre centros de investigação nacionais.

Apelamos ainda ao maior recurso a modelos “open-source”, transparentes e acessíveis aos decisores políticos nacionais e à comunidade de investigação.

No LNEG continuamos a trabalhar para uma transição energética mais robusta, justa e transparente.

Consultar o relatório da EERA