Ir para conteúdo
PT LOGIN LOGIN
como-o-consumo-de-eletricidade-na-industria-esta-distribuido-no-territorio-em-portugal-continental

Como o consumo de eletricidade na indústria está distribuído no território em Portugal continental


Como o consumo de eletricidade na indústria está distribuído no território em Portugal continental
directionsLocalização: Online
todayEvento a realizar: 08/02/2023
timerHorário: 11:00-12:00
alarmData de Publicação: 30 Janeiro, 2023

Como parte do desafio comunitário de acelerar a transição energética do RepowerEU surgiu a necessidade de reflexão acerca das áreas propícias ao desenvolvimento de centros eletroprodutores de fonte renovável. Um dos fatores a ser levado em consideração é uma projeção da procura de eletricidade como um todo e nas diferentes regiões de cada Estado-Membro. Neste webinar apresentamos os resultados de um estudo do LNEG para Portugal continental que combina informações públicas sobre a ocupação do território produzida pela Direção Geral do Território com informações do consumo setorial de eletricidade nos municípios produzida pela Direção Geral de Energia e Geologia. Onde estão os maiores consumidores industriais de eletricidade atualmente? Quais poderiam ser as prováveis evoluções futuras destes consumos industriais espacializados de acordo com os cenários do Roteiro de Neutralidade Carbónica? Qual o papel que tecnologias como o solar e a eólica poderão ter na satisfação desta procura futura?

Destinatários: empresas e associações de energia renovável, investigadores e decisores públicos.

Apresentação

Como o consumo de eletricidade na indústria está distribuído no território em Portugal continental

Vídeo

https://youtu.be/Fz3PAMk9P60

Oradoras

Sofia Simões e Juliana Barbosa

Notas biográficas

Sofia Simões é investigadora na Unidade de Economia de Recursos no LNEG dedicada à investigação de futuros de baixo carbono, com ênfase para novas tecnologias e sistemas energéticos, utilização de recursos para a descarbonização, novos modelos de política e economia do carbono, bem como à vulnerabilidade e adaptação dos sistemas energéticos a cenários futuros de alterações climáticas. Nos últimos 15 anos, tem desenvolvido a componente quantitativa (modelação de sistemas energéticos) em diversos estudos para a política pública nacional, tais como o Programa Nacional de Alterações Climáticas. Mais recentemente coordenou dois estudos pioneiros nacionais: (i) o Atlas Nacional para o H2 Verde Sustentável e (ii) Mapa de áreas com menor sensibilidade ambiental e patrimonial para a implementação de centros eletroprodutores de fonte solar e eólica.

Juliana Barbosa é investigadora na Unidade de Economia de Recursos no LNEG. Doutora em Alterações Climáticas e Política de Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Nova de Lisboa, mestre e bacharel em economia pela Universidade Federal da Paraíba. Trabalhou como professora na UFPB, como especialista em políticas públicas no Ministério do Meio Ambiente do Brasil e como consultora para organizações nacionais e internacionais (UNDP, FAO). Seus interesses de pesquisa estão relacionados à transição e diversificação de sistemas de energia. Foi investigadora no ISCTE entre 2019 e 2020. Fez parte da equipa que desenvolveu o trabalho pioneiro “Mapa de áreas com menor sensibilidade ambiental e patrimonial para a implementação de centros eletroprodutores de fonte solar e eólica”.

Relatório

Barbosa, J., Simões, S.G., Oliveira, P., Patinha, P., Quental, L., Catarino, J., Simões, T., Rodrigues, C., Pinto, P.J.R., Cardoso, J.P. (2023) Distribuição do consumo de eletricidade na indústria no território em Portugal Continental e a potencial satisfação desta procura por fonte solar fotovoltaica. pp. 23. LNEG Relatório Técnico, Amadora, Portugal.
Disponível: https://repositorio.lneg.pt/handle/10400.9/4164