13261
PT LOGIN LOGIN
Palestra

Palestra "Desenvolvimento e avaliação de uma biorefinaria acidogénica para valorização de desperdício alimentar"


Palestra “Desenvolvimento e avaliação de uma biorefinaria acidogénica para valorização de desperdício alimentar”
directionsLocalização: Evento online às 11h00
todayEvento a realizar: 23/09/2020

A Palestra realizou-se online no dia 23 de setembro de 2020.

Desperdício alimentar (FW) é definido como qualquer alimento retirado da cadeia alimentar que não tenha um uso secundário definido, sendo geralmente constituído por material orgânico degradável. A nível mundial estima-se que a quantidade produzida corresponda aproximadamente a 32% da produção total alimentar. O estudo apresentado explora a valorização de FW por fermentação acidogénica para a produção de hidrogénio (H2), ácidos orgânicos e fertilizante, segundo o conceito de biorrefinaria. A fase experimental foi iniciada com a seleção de duas tipologias de FW: resíduos/subprodutos da indústria agro-alimentar (AG) e resíduos de hotéis, restaurantes e cantinas (HORECA ou na designação inglesa, CIW). Os AG foram selecionados por referenciação cruzada entre dados de identificação e caracterização físico-química e informação disponível relativa a quantidades geradas no território Português. Os resíduos selecionados foram processados para a obtenção de soluções fermentáveis e testados em ensaios preliminares de fermentação com uma bactéria produtora de H2, Clostridium butyricum DSMZ 10702. Polpa de alfarroba foi selecionada como substrato modelo de AG devido à facilidade do processo de extração de açúcares solúveis, bem como ao elevado rendimento em H2. CP e CIW foram testados de forma bem-sucedida em condições estéreis em bioreactor de bancada (modo batch) mas declinando substancialmente em performance após remoção da etapa de esterilização. Um processo de controlo de contaminação do substrato por aplicação de micro-ondas foi instituído de forma a contrariar este efeito. Os parâmetros operacionais de fermentação de CIW em batch foram transcritos para operação em contínuo (RPA). O biogás produzido durante a fermentação foi alimentado a uma célula de combustível de membrana de permuta protónica (PEMFC) para conversão em eletricidade. Os resultados obtidos serviram de base para o desenvolvimento de um modelo de aumento de escala teórico para a valorização de FW, para comparação com um sistema de tratamento de referência por digestão anaeróbia.

Oradora

Joana Ortigueira – LNEG

Nota biográfica

Joana Ortigueira completou o mestrado em Engenharia Biológica (MSc integrado) pelo Instituto Superior Técnico em 2009. Mais recentemente, foi doutorada em Engenharia do Ambiente pela mesma faculdade, trabalho focado em fermentação anaeróbia e valorização de resíduos de natureza orgânica. Ao longo do seu percurso profissional ocupou várias posições como bolseira de investigação no Laboratório Nacional de Energia e Geologia, Instituto Superior Técnico e Faculdade de Ciências e Tecnologia. Até ao momento, o seu currículo académico contém 11 artigos publicados em revistas científicas, 1 capítulo de livro, 2 prémios científicos, variados estudos apresentados em conferências nacionais e internacionais e consistente colaboração em projetos de investigação nacionais e europeus. Áreas de interesse actuais estão relacionadas com produção de biocombustíveis, particularmente produção biológica de hidrogénio, biorefinarias, valorização de resíduos, avaliação de sustentabilidade e impacto ambiental.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com