Ir para conteúdo
PT LOGIN LOGIN
participacao-do-lneg-na-2a-reuniao-tecnica-do-projeto-ageo

Participação do LNEG na 2ª Reunião Técnica do Projeto AGEO


Participação do LNEG na 2ª Reunião Técnica do Projeto AGEO
alarmData de Publicação: 31 Janeiro, 2023Categoria: Notícias Nacionais


O LNEG participou na 2ª reunião técnica do Projeto AGEO – Platform for Atlantic Geohazard Risk Management, que teve lugar na ilha da Madeira entre os dias 19 e 21 de janeiro, contando com a presença de Lídia Quental, Pedro Gonçalves e Elsa Ramalho.

O projeto AGEO, já na sua fase final, coordenado pelo Instituto Superior Técnico (IST), é um projeto Interreg Atlantic Area, e conta com vários parceiros europeus nomeadamente o IST, APGLPRCIGMEGSNI, UBO, UCDCEREMA, LNEG, LNEC, CML, UMA e ULL. Tem como principal objetivo o desenvolvimento de uma plataforma de gestão de riscos naturais com o apoio da rede de satélites do Programa Copernicus da Agência Espacial Europeia e Observatórios de Cidadãos, tendo como áreas piloto a cidade de Lisboa, a ilha da Madeira, a Giants’ Causeway (Irlanda), a Bretanha (França) e as Ilhas Canárias. A plataforma explora os vários riscos de cada uma das áreas piloto associados a tsunamis, sismos, quedas de blocos, dolinas ou buracos, erupções vulcânicas, inundações, deslizamentos de terras, erosão costeira,  assentamentos ou abatimentos e incêndios florestais. Inclui o desenvolvimento de uma App amigável para uma maior aproximação do cidadão à ciência, promovendo simultaneamente uma maior consciencialização do papel do cidadão comum na identificação e prevenção de riscos naturais, envolvendo-o em simultâneo nessas mesmas ações.

No primeiro dia de reuniões na Universidade da Madeira (Fig. 1), Funchal, teve lugar a apresentação da versão mais recente da App e respetiva discussão, e o debate do plano de exploração incluindo os resultados chave entre os vários parceiros do projeto.

Equipa do projeto AGEO na Universidade da Madeira

Fig. 1 – Equipa do projeto AGEO na Universidade da Madeira.

No segundo dia foi dada ênfase à demonstração da App móvel AGEO e discussão dos resultados de sustentabilidade feitos com base nos questionarios realizados pela equipa da UCD, bem como a discussão e os preparativos da conferência final a ter lugar em Abril nas instalações do LNEC. A equipa do projeto foi excelentemente recebida no salão nobre da Câmara Municipal do Funchal por Bruno Pereira, Vereador da Câmara Municipal do Funchal com o pelouro da Proteção Civil (Fig. 2).

Equipa do projeto AGEO na Câmara Municipal do Funchal, recebida pelo Sr. Vereador Bruno Pereira

Fig. 2 – Equipa do projeto AGEO na Câmara Municipal do Funchal, recebida pelo
Sr. Vereador Bruno Pereira.

Foram realizadas duas saídas de campo, a primeira à Escola Secundária Francisco Franco onde foram partilhadas as experiências positivas da parte de docentes da escola e de membros da Protecção Civil,  constatando os resultados da educação para o risco com a população em idade escolar e dos benefícios inerentes para a comunidade em geral na conscencialização da importância da tomada de decisões corretas em situações de catástrofe iminente.

A segunda saída constituiu num percurso pela ilha, onde foram assinaladas várias situações de risco dentro do âmbito do projeto e passíveis de reporte futuro na App AGEO. Tendo em conta a morfologia e planeamento urbanístico da ilha da Madeira, grande parte da ilha está em situação de elevada vulnerabilidade devido a fatores diversos. Por outro lado a enorme beleza da ilha está diretamente relacionada com muito do que a torna perigosa, pelo que as autoridades têm em permanência que fazer um equilíbrio entre o risco e o turismo. Um dos exemplos é a queda de água “Véu de Noiva”, na antiga estrada que liga as localidades de S. Vicente e Seixal, no litoral norte da ilha (Fig. 3).

Queda de água “Véu de Noiva”, localizada na antiga estrada que liga as localidades de S. Vicente e Seixal no litoral norte da ilha, que foi fechada devido ao seu enorme risco. A passagem desta estrada, debaixo da queda de água foi outrora um ponto de grande atração turística, que devido ao enorme perigo que apresenta, atualmente apenas é vista a partir de um miradouro.

Fig. 3 – Queda de água “Véu de Noiva”, localizada na antiga estrada que liga as localidades de S. Vicente e Seixal no litoral norte da ilha, que foi fechada devido ao seu enorme risco. A passagem desta estrada, debaixo da queda de água foi outrora um ponto de grande atração turística, que devido ao enorme perigo que apresenta, atualmente apenas é vista a partir de um miradouro.