2566
PT LOGIN LOGIN
Tomo 31 (1989)

Tomo 31 (1989)


Tomo 31 (1989)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 1980 a 1989

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Bacia Carbonífera do Norte de Portugal – Algumas Reflexões Sobre o Estado Actual dos Conhecimentos Após a Fase de Reconhecimento de 1983/87 e Sugestões para Complemento da Inventariação
José Lopes da Silva Freire (18 páginas)
resumo: Este estudo reflexivo sobre os ensinamentos retirados de várias fases da bacia carbonífera do Norte de Portugal, põe em evidência algumas indefinições sobre determinadas características e sugere, fundamentalmente, o aproveitamento misto de antracitos até 60% de cinzas de carvões sub-betuminosos jurássicos e lignitos pliocénicos com desperdícios de madeira de pinheiro, eucalipto e sobreiro, e, a partir do piso mais profundo da única sede de extracção em actividade, a realização de um método geofísico adequado à determinação do tipo estrutural profundo da bacia.
2. Calcários e Dolomitos da Área de Melides – Santiago do Cacém
Giuseppe Manuppella ; José C. Balacó Moreira (17 páginas)

resumo: Este trabalho, constituiu mais um contributo para o conhecimento das potencialidades do país, em matérias primas minerais não-metálicas, no caso vertente, no que se refere aos calcários e dolomitos.Neste contexto, dada a instalação prevista de uma fábrica para a produção de cimento na área do complexo industrial de Sines a que se juntariam diversas unidades do ramo químico, prováveis utilizadoras daquelas matérias primas, foi decidido avaliar as potencialidades e capacidades de utilização dos calcários e dolomitos situados na área de influência daquele complexo de indústrias, ou sejam, os da área de Melides-Santiago do Cacém.

Assim, partindo de uma cartografia de base, à escala 1:25 000, elaborada pelos Serviços Geológicos de Portugal e de algumas análises químicas realizadas sobre testemunhos de sondagens anteriormente executadas com objectivos geotécnicos, constatou-se haver algumas perspectivas que importava analisar em pormenor. Dada a escassez de afloramentos, recorreu-se à elaboração de um projecto para execução de sondagens, visando o conhecimento das formações de sub-superfície. O estudo dos testemunhos das sondagens, permitiu a definição de uma série geológica, tendo os estudos micrográfico e petrográfico igualmente levados a cabo, visando a correlação das diferentes sondagens, acrescendo ainda as análises químicas e mineralógicas igualmente realizadas.

O tratamento dos diferentes elementos então obtidos, permitiu, não só, a avaliação das reservas disponíveis, como também, estabelecer a gama de utilizações possíveis dos calcários e dolomitos, desta importante área com cerca de 90 Km2.

Em síntese, assinala-se a existência de reservas notáveis de ambas as matérias primas, aplicáveis no seu estado natural numa importante diversidade de indústrias. No entanto, para alguns tipos de utilizações, mais restritivas, será necessário proceder a algum tratamento de beneficiação.

3. Estudo Químico e Mineralógico do Chapéu de Ferro da Mineralização Sulfuretada da Tinoca (Alto Alentejo-Portugal). Determinação das Fases-suporte do Cu, Zn e Pb por Extracção Química Selectiva Sequencial
Margarida Vairinho ; E. Cardoso Fonseca (8 páginas)

resumo: O jazigo da Tinoca localizado em formações gnaissicas de idade Precâmbrica Superior apresenta uma mineralização do tipo calcopirite, pirite, pirrotite, blenda e magnetite. O estudo químico da distribuição de elementos no chapéu de ferro e a sua mineralogia sugerem como meio de formação o ambiente silicatado.Os dados da Extracção Química Selectiva Sequencial completados pelos resultados obtidos por microssonda electrónica permitiram determinar as fases-suporte do Cu, Zn, e Pb quando da alteração supergénica.

4. Estudo Químico-mineralógico e de Beneficiação de Talcos de Bragança-Vinhais (NE de Portugal)
J. M. Farinha Ramos ; A. Casal Moura ; José M. Conceição Grade ; M. Amarant (50 páginas)

resumo: Neste trabalho procede-se ao estudo químico-mineralógico e de beneficiação de amostras de talco colhidas nas principais concessões mineiras da região de Bragança-Vinhais.Os estudos realizados em cada amostra compreenderam, genericamente, a determinação mineralógica por difracção de raios-X e microssonda electrónica, complementada por análise química elementar das principais fases presentes. Por utilização da microssonda procedeu-se, ainda, à determinação da distribuição granulométrica dos minerais considerados penalizantes.

Nas amostras consideradas mais representativas foi determinado o respectivo grau de brancura do produto tal qual, moído a 200 mesh. Após uma breve introdução às propriedades magnéticas dos minerais, descrevem-se os ensaios de beneficiação efectuados para purificação das amostras de talco separação magnética baixa intensidade de campo e média intensidade via seca, e apresentam-se os resultados obtidos.


Contacto

Email:venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone:+ 351 210 924 635


 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com