2579
PT LOGIN LOGIN
Tomo 43 (2001)

Tomo 43 (2001)


Tomo 43 (2001)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 2000 a 2009

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Análise da Exposição ao Ruído na Indústria Extractiva Face à Evolução Tecnológica
Maria Luisa Matos (8 páginas)
Resumo: Baseando-se em dados recolhidos ao longo dos últimos cinco anos o presente estudo pretende contribuir para uma apreciação da melhoria das condições de Exposição ao Ruído na Indústria Extractiva induzida pela evolução tecnológica entretanto ocorrida, nomeadamente ao nível da modernização das instalações de Britagem e Classificação e dos sistemas de Carga e Transporte.O estudo circunscreve-se ao meio empresarial do Norte do País, fundamentalmente, caracterizado por PME’s.

2. Determinação da Contribuição da Flutuação Verdadeira e do Arrastamento em Ensaios Batch de Flutuação
Fernando Antunes Gaspar Pita ; M. R. Machado Leite (8 páginas)
Resumo: Propõe-se um novo método de determinação da contribuição da flutuação verdadeira e do arrastamento das partículas minerais no processo de flutuação.Uma vez que o arrastamento não é selectivo, podemos admitir que, num qualquer instante t, a concentração em mineral flutuável no material arrastado é igual à concentração em mineral flutuável, no mesmo instante, no afundado. Este pressuposto pode não ser válido se as partículas apresentarem um calibre “grosseiro” e, simultaneamente, os diversos tipos de partículas apresentarem densidades e/ou formas diferentes, podendo por isso ocorrer discriminação no processo de arrastamento. No entanto, para partículas finas, mesmo que se esteja em presença de uma mistura de partículas de densidades ou formas diferentes, aquela hipótese é válida, pois, devido à sua pequena massa, acaba por não ocorrer discriminação no processo de arrastamento.
A recuperação por arrastamento é calculada a partir da massa total de mineral recuperada e da concentração em mineral no afundado. Quando o arrastamento é discriminatório, a contribuição deste processo é corrigida por um factor de segregação, determinado para um elevado tempo de flutuação.
O calibre das partículas e a composição mineralógica constituem factores decisivos no processo de flutuação. Os ensaios de flutuação realizados sobre um minério caulinítico, visando a flutuação dos minerais penalizantes (ilmenite, óxidos de ferro, rutilo, quartzo e turmalina), permitiram concluir do intenso grau de arrastamento, resultado da fina granulometria deste material.

3. Geoquímica na Área Envolvente da Mina da Cunha Baixa (Mangualde, no Centro de Portugal)
J. M. Santos Oliveira ; Paula Freire Ávila (24 páginas)
Resumo: Neste estudo investiga-se o comportamento geoquímico de diversos elementos traço (oligoelementos) em meios amostrais geológicos (de natureza primária e secundária), embora com certa subordinação a uma perspectiva ambiental determinada por possíveis influências relacionáveis com actividades antropogénicas na crusta terrestre. O caso de estudo em apreço englobou a Mina da Cunha Baixa e a sua área envolvente, em passado recente objecto de exploração para minérios radioactivos mas que se define actualmente como um sítio mineiro “abandonado”. Na vizinhança, assinala-se ainda a presença da Mina da Quinta do Bispo, até há pouco em actividade …

4. Ouro e outros Elementos Traço em Metassedimentos da Área de Pedrogão (Penamacor, Centro de Portugal)
J. M. Santos Oliveira ; J. Farinha ; M. L. Castro Reis (29 páginas)
Resumo: Do ponto de vista geológico, a área de Penamacor é dominada por rochas metassedimentares Câmbricas, essencialmente turbidíticas, do Complexo Xisto-Grauváquico, que afloram enquadradas pelo maciço granítico de Castelo Branco e pelo plutonito granitóide de Penamacor. Estudos de prospecção realizados anteriormente por outros autores tinham permitido a identificação de anomalias de ouro em aluviões, indiciadoras da existência de alguma mineralização na área.No presente estudo, os resultados analíticos dos elementos maiores obtidos nas rochas metassedimentares colocam em evidência composições algo variadas das litologias existentes: metapelitos, xistos negros com grafite, metagrauvaques e, com menor representatividade, quartzitos e anfibolitos …

5. Vanadiferous Iron-titanium Ores in Gabbroic Series of the Beja Igneous Complex (Odivelas, Portugal); Remarks on Their Possible Economic Interest
António Mateus ; Ana P. Jesus ; Vitor Oliveira ; Mário A. Gonçalves ; Carlos Rosa (14 páginas)
Resumo: Na área de Odivelas (Ferreira do Alentejo), as rochas gabróicas bandadas pertencentes ao Complexo ígneo de Beja integram duas Séries distintas com polaridade normal. O desenvolvimento do bandado não se processa uniformemente e a sua direcção varia usualmente entre NW-SE e WNW-ESE na Série I e entre WNW-ESE e E-W na Série II, apresentando um pendor relativamente constante <30º) no sentido SW ou S. A Série I compreende três grandes grupos litológicos: 1) o grupo inferior é predominantemente constituído por leucogabros olivínicos, troctolitos e lentículas descontínuas (e/ou blocos?) de cumulados máficos variavelmente enriquecidos em óxidos; 2) o grupo intermédio inclui essencialmente leucogabros e anortositos; 3) o terceiro grupo integra uma sequência relativamente monótona de leucogabros onde ocorrem níveis descontínuos de natureza anortosítica. Na Série II predominam largamente os gabros olivínicos e leucogabros olívinos com bandado incipentemente desenvolvido …


Contacto

Email: venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone: + 351 210 924 635


 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com