2404
PT LOGIN LOGIN
Tomo 91 (2004)

Tomo 91 (2004)


Tomo 91 (2004)Categoria: Publicações, Comunicações Geológicas, 2000 a 2009

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Análise Petrográfica e Textural dos Gnaisses de Saldanha (Trás-Os-Montes Oriental): Elementos para nova Interpretação Estratigráfica
M. L. Ribeiro ; A. Ribeiro (12 páginas)

resumo: A unidade dos Gnaisses de Saldanha tem sido colocada na base das colunas estratigráficas do sub Domínio Centro Transmontano, sobreposta em discordância estratigráfica pelas unidades que sobre ela assentam, com base em critérios lito estratigráificos. Correlações de ordem geológica levaram A. RIBEIRO (1974) a atribuir-lhe idade anterior ao Ordovícico, situação em que continuam a figurar nas novas cartas geológicas.A observação petrográfica e textural das respectivas fácies identifica as como meta riólitos e meta tufos riolíticos, por vezes milonitizados, sobretudo as das imediações do carreamento existente no contacto oriental. Apresentarn texturas porfiroclásticas foliadas em que a matriz é essencialmente constituída por palhetas de filossilicatos demonstrando baixo grau de metamorfismo. A presença de esporádicas relíquias de pequenos grãos de granada demonstra que o metamorfismo, de baixo grau, poderá ter atingido a zona da almandina durante 2ª fase de deformação.

A discussão das relações litoestratigráficas na presença de corpos vulcânicos actualmente aceites, e tomando em consideração as observações anteriormente publicadas, permite nos apresentar um novo modelo de deposição dos materiais que originaram os Gnaisses de Saldanha consentâneo com a sua contemporaneidade relativamente à unidade com que contacta a W, colocando o como uma das primeiras manifestações vulcânicas das séries silúricas regionais.

2. Caractérisation du Volcanisme Néogène et Plio-Quaternaire du Bassin de Guercif (Rif Oriental, Maroc): Géochimie, Évolution et Implications Géodynamiques
K. Rkha Chaham ; A. El Boukhari ; N. Youbi ; P. L. Rossi (10 páginas)
resumo: A Bacia de Guercif localiza se no ante país rifenho, cerca de cem quilómetros a sul da costa mediterrânica. Entre o Tortoniano superior e o Plio Quaternário, a bacia de Guercif foi local de intensa actividade vulcânica de natureza exclusivamente alcalina e de origem astenosférica. Este magmatismo caracterizou se, durante o Miocénico superior, pela emissão de lavas progressivamente mais básicas, desde traquitos até havaítos, a que se seguiu, a partir do Pliocénico, extrusão maciça de basaltos. Durante a primeira fase, os líquidos primários estacionam numa câmara magmática onde sofrem cristalização fraccionada. Este mecanismo cessa no início do Pliocénico, período durante o qual a composição dos líquidos que chegam à superficie resulta somente de flutuações da taxa de fusão parcial da fonte.
3. In Memoriam – Giuseppe Manuppella 1933-2004
(8 páginas)
4. Mineralogy and Geochemistry of Industrial Muds and Their Impacts on The Underlying Rocks in a Dump Near Pombal, Central Portugal
A. M. R. Neiva ; J. M. Pinto (12 páginas)
resumo: As lamas produzidas por duas oficinas de anodização de alumínio, localizadas próximo de Pombal, são constituídas por bochmite, bayerite e quatro hidróxidos ainda não descritos. As lamas possuem Al, Ti, Fe, Cr, Zn, Sn, Ni, Cu e Co. Foram depositadas num aterro situado numa pedreira desactivada de calcário carsificado e fracturado que ocorre a SE de Pombal. A queima de vários resíduos sólidos distintos, no aterro, provocou recristalizações e fissurações do solo argiloso subjacente às lamas. Por sua vez, os fluidos de lixiviação, ricos em metais sob a forma iónica, penetraram as fissuras e produziram modificações químicas, principalmente no solo argiloso. O solo argiloso modificado ganhou Al, Ti, Zn, Cr, Ni, Cu e Co e os seus minerais também incorporaram ou fixaram alguns metais derivados das lamas. O solo argiloso evidenciou capacidade de retenção dos metais poluentes.
5. Modelação da Qualidade da Matéria-Prima de uma Pedreira de Marga para o Fabrico de Cimento
J. A. Almeida ; M. Rocha ; A. Teixeira (18 páginas)

resumo: O objectivo deste estudo é a caracterização da distribuição e variabilidade espacial das variáveis (SiO2. Al2O3, Fe2O3, CaO e MgO) para descrever a qualidade da matéria-prima extraída de uma pedreira de marga para o fabrico de cimento, propriedade da SECIL, (sul de Portugal). Estas variáveis, quando combinadas nos seguintes parâmetros, LSF (factor de saturação em cal), SIM (módulo de sílica), ALM (módulo de alumina) e CS (relação de sílica e cal) fornecem indicação da qualidade da pedra e, quais os aditivos e como devem ser misturados.A primeira etapa deste estudo consiste na construção de imagens simuladas destes óxidos, utilizando a Simulação Sequencial Directa (SSD) com um modelo de co-regionalização.

Na segunda fase, as imagens simuladas são combinadas algebricamente para calcular leis de distribuição locais dos parâmetros de qualidade (LSF, ALM, SIM e CS). A incerteza local e a probabilidade de ocorrência de valores extremos para estes parâmetros são uma ferramenta de importância principal para o planeamento da exploração.

Finalmente, é efectuada uma análise de sensibilidade de cada um dos parâmetros de qualidade, à densidade de amostras, mantendo os mesmos modelos de variograma.

6. Nouvelles Observations dans le Dépocentre Volcano-Sédimentaire Carbonifère du Massif du Tazekka (Moyen-Atlas, Maroc): Implications sur L’évolution Géodynamique de la Chaîne Hercynienne
A. Bennouna ; M. Ben Abbou ; C. Hoepffner ; M. L. Ribeiro ; F. Kharbouch ; J. F. Ramos ; N. Youbi ; Y. Driouch ; M. Dahire ; A. Ntarmouchant (16 páginas)

resumo: A análise integrada das estruturas tectónicas e das fácies do Complexo Vulcano Sedimentar do Maciço de Tazekka sugere que este, à escala da grande bacia carbonífera de ante país da Meseta Oriental marroquina, corresponde a um depocentro ou sub bacia em compressão controlada pela propagação, para NW, de dobras de amortecimento do cavalgamento de Hajra Sbaa el Caid. As sequências tectono sedimentares, detrito conglomeráticas e/ou tufíticas, estão associadas a um magmatismo extrusivo com basaltos, andesitos, dacitos, riodacitos e riólitos homogéneos ou piroclásticos com blocos re sedimentados. Estes vulcanitos correspondem a uma sequência sub alcalina equivalente. As sequências calco alcalinas orogénicas características de ambientes de subducção.Estes resultados, assim como a comparação das idades de contracção regional na Meseta marroquina, permitem integrar o Maciço de Tazekka num contexto de wedge top deepzone dum sistema de bacias de ante país flexural, em compressão comandada pela progressão de duas sequências de cavalgamentos prógrados, de NW, desde o Fameno Tournaisiano ao Viseano sup. Terminal Westfaliano inf., da Meseta Oriental para a Meseta Ocidental, em Marrocos setentrional.

7. O Enigma dos Tiges de Végétaux Terrestres de Idade Ordovícica, Encontrados por Nery Delgado (1908) na Formação Valongo (Norte de Portugal)
J. C. Gutiérrez-Marco ; A. A. Sá (8 páginas)
resumo: O material original de um fóssil ordovícico semelhante a uma planta, recolhido em 1906 na regão de Valongo (norte de Portugal), foi encontrado na colecção de Nery Delgado depositada no INETI (Litoteca de Alfragide). A amostra é proveniente das camadas inferiores (Arenigiano) da Formação Valongo, no flanco oriental do Anticlinal de Valongo, na parte norte da Zona Centro Ibérica. Uma cuidada revisão do espécimen revelou que o mesmo não pertence a nenhuma planta vascular, mas sim a um icnofóssil composto, que consiste numa cavidade horizontal e colapsada (Palaeophycus isp.) preenchida, pelo menos em parte, por pellets fecais identificados como Tomaculum problematicum GROOM. Ambos os icnogéneros são comuns em xistos contemporâneos do Ordovícico Médio de Portugal e Espanha, embora fossem desconhecidos na Península Ibérica ao tempo da monografia de Nery Delgado.
8. Petrology of Spinel Peridotite Xenoliths From Santo Antão, Cape Verde Islands
M. H. Mendes ; R. Caldeira ; L. C. Silva ; J. Munhá (18 páginas)

resumo: Os xenólitos ultramáficos, existentes em lavas basálticas alcalinas/nefeliníticas da Ilha de Santo Antão (Cabo Verde), incluem uma série harzburgítica e uma série dunítica/wehrlítica; a série harzburgítica apresenta características texturais/mineralógicas complexas e é mais refractária (Fo = 90-92) do que a série dos dunitos/wehrlitos (Fo = 82-88).Os xenólitos duníticos e wehrlíticos são, essencialmente, acumulados de olivina e espinela, com clinopiroxena intercumulus. A química mineral e os dados geotermométricos sugerem que os xenólitos duníticos/wehrlíticos cristalizaram a ~ 1000 ºC a partir de magmas alcalinos e acumularam em câmaras magmáticas profundas, sob a ilha de Santo Antão.

Os xenólitos harzburgíticos são constituidos por olivina + ortopiroxena + espinela ± clinopiroxena. De acordo com as relações texturais e mineralógicas, os xenólitos harzburgíticos foram divididos em 3 grupos: I – protogranular, II – protogranular metassomatizado e III – porfiroclástico. A evolução térmica complexa registada nestes xenólitos, os elevados valores de fO2 (ΔFNIQ = 0.7 1.9) e o desenvolvimento de abundantes inclusões fluidas ricas em CO2, são atribuídos à infiltração recente nos harzburgitos de melts, aprisionados/cristalizados no interior do manto; estas características e a natureza refractária da série harzburgítica, apoiam a interpretação de que estes xenólitos representam litosfera oceânica empobrecida, modificada pelo magmatismo associado à génese da Ilha de Santo Antão.

9. Signification et Evolution Spatio-Temporelle des Minéraux Argileux Associés aux Phosphorites du Crétacé Supérieur-Eocène du Gisement D’ oulad Abdoun (Maroc Central)
M. El Mountassir ; A. Chahi (28 páginas)

resumo: A análise difractométrica (RX), associada à análise térmica diferencial (ATD) e a imagens de microscopia electrónica das argilas associadas às diferentes facies da série fosfatada da bacia Cretácica superior Eocénica d’Oulad Abdoun, permitiu distinguir dois tipos principais de espécies argilosas: as esmectites sensu latu e as palygorskites. As primeiras são preponderantes no decurso do período mais fosfatado que se estende do Maastrichtiano superior ao lpresiano médio e possuem uma dupla natureza beidelítica e montmorilonítica. As segundas ganham importância nas litofacies menos fosfatadas que vão do lpresiano superior ao Lutéciano.A compilação dos dados geológicos e mineiros permitiu estabelecer uma cartografla minuciosa dos minerais argilosos no decurso dos dois principais períodos que enquadram a série fosfatada produtiva de Oulad Abdoun: Maastrichtiano e Ipresiano. Existe uma relação entre o cortejo dos minerais argilosos e a análise sequencial. À escala da sequência unitária ou de quarta ordem, que se supõe ser influenciada por parâmetros orbitais de curta duração, pode verificar se a existência de uma sedimentação cíclica da série fosfatada.

Propõe se um modelo ideal de facies, baseado na evolução das argilas, que ilustra a tripla relação existente entre a litofacies, a associação argilosa e o eustatismo. A chegada maciça de esmectites traduz a influência de correntes de upwelling relacionadas com agradação costeira positiva. Por outro lado, o desenvolvimento de particulas de palygorskite é regulado por um confinamento do ambiente e ambiente árido.

10. Tectónica Alpina na Região de Juromenha (Nordeste Alentejano)
A. Araújo (20 páginas)
resumo: Neste trabalho apresenta se um estudo preliminar que tem como objectivo a caracterização da tectónica alpina da região compreendida entre as povoações de Terena e de Juromenha, dando se particular atenção às evidências de actividade tectónica recente (durante o Plio Quaternário). A Falha de Messejana Ávila corresponde à principal macroestrutura alpina da região. Foi dada prioridade a uma área do Vale do Guadiana que vai ser inundada pela Barragem de Alqueva junto à povoação de Juromenha, onde aflora uma pequena bacia terciária. Esta bacia, preenchida por sedimentos continentais, é limitada a noroeste pela referida Falha de Messejana. A análise da cartografia geológica, do relevo e de alguns afloramentos chave, permitiu identificar estruturas que se agrupam segundo as direcções NE-SW, N-S e NW SE. A direcção NE SW, a mais importante, corresponde ao, sistema da Falha de Messejana, corta sedimentos Plio Quaternários e tem, geralmente, escarpas associadas com várias dezenas de metros, viradas a SE. A direcção N-S está particularmente bem representada por um troço de vários quilómetros do Rio Guadiana, corn esta orientação e margens desniveladas. Na Bacia de Juromenha observam se também falhas com esta orientação a cortar o Terciário. A relação do sistema NW-SE com a tectónica recente é menos evidente mas parece corresponder a rampas laterais do sistema de falhas NE-SW. Descrevem se evidências geológicas e geomorfológicas que permitem afirmar, com segurança, que a região sofreu deformação durante o Quaternário.

Contacto

Email: venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone: + 351 210 924 635


Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com