2583
PT LOGIN LOGIN
Vol. II, Fasc. 2 (1946)

Vol. II, Fasc. 2 (1946)


Vol. II, Fasc. 2 (1946)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 1940 a 1949

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Estudos das Possibilidades de Exploração das Minas Portuguesas de Fosforite.
J. M. de Almeida Fernandes (5 páginas)
Resumo: As nossas minas de fosforite são todas de origem hidrotermal, encontrando-se sempre a fosforite em filões de quartzo encaixados nos granitos porfiróides.A distribuição do minério nos filões é extremamente irregular, ora em impregnações na ganga quartzosa, ora em veios geralmente delgados e, neste caso, o filão apresenta uma estrutura zonada. Há enriquecimentos locais de fosforite, constituindo verdadeiras bolsadas, mas não existem, ou pelo menos naõ se evidenciaram até agora, concentrações que garantissem uma exploração intensiva. A reduzida possança das fosforites, a irregularidade da sua distribuição e o carácter superficial das impregnações, caracterizam os nossos jazigos, tornando aleatório e improvável o êxito da lavra. Admitindo que os jazigos podiam ser explorados em boas condições – não é isso que se verifica – e que podiam fornecer quantidades de fosforites suficientes para o abastecimento da nossa indústria, haveria necessariamente um período – talvez mais de um ano – em que a extracção seria muito reduzida, isto porque os trabalhos preparatórios e o equipamento das minas não tinham ainda o desenvolvimento preciso.
Resumindo: das minas que visitámos não podem extrair-se grandes quantidades de fosforite. A pequena tonelagem que se arrancasse teria um preço de custo impossível de prever, mas com certeza muito elevado. A iniciativa particular poderia talvez, em trabalhos superficiais e por processos expeditos, arranjar algumas centenas de toneladas a um preço razoável. Mas é evidente que isso não resolveria o problema.

2. Notas Sobre a Dosagem do Cálcio nos Calcários, Cais e Cimentos.
Jorge de Campos (6 páginas)

3. Notas Sobre a Região Mineira de S. João da Corveira.
J. M. Cotelo Neiva (13 páginas)
Resumo: Os jazigos estudados podem dividir-se, do ponto de vista geológico-geográfico, nos seguintes grupos: Pontido n.º 2, Fonte do Ouro, Sobrado, Pontido e Coral. São formações de natureza pegmatítica granítica cujos afloramentos estão indicados na carta geológica junta. São predominantemente filões ptigamíticos, isto é, concordantes com os micaxistos e acompanhando as numerosas e mais pequenas dobras que estes apresentam. Os minerais da pegmatite, especialmente os feldspatos, estão bastante alterados. As possanças dos filões variam , em média, de 1 a 2,90 m. A cassiterite encontra-se finamente disseminada nas pegmatites graníticas e os seus maiores cristais observam-se em Sobrado, onde a mineralização é mais rica.A riqueza das pegmatites em cassiterite é, predominantemente, 1,6/1000. Em Sobrado é que atinge o valor, localmente excepcional, de 2,6/1000. A riqueza média do conjunto é 1,8/1000. Na linha de água, que vem de Pontido n.º 2 até à lavaria e depois inflecte para W, encontram-se formações aluvionares, indicadas na carta a amarelo, e que necessitam de ser estudadas em pormenor, em especial no que diz respeito à sua riqueza em cassiterite – pois contém este mineral – e ao seu aproveitamento económico.
Esta região está bem servida de vias de comunicação, que da estrada à lavaria necessitam ser reparadas. Quanto a perspectivas económicas:

    a) A riqueza do jazigo está dentro do normal dos jazigos portugueses, atingindo valor excepcional local em Sobrado;
    b) As reservas devem ser enormes por se tratar de filões com modo de jazida de filões ptigamíticos;
    c) As vias de comunicação são praticamente acessíveis a automóveis e camiões;
    d) A região está desprovida de energia eléctrica. Com os recursos regionais é possível que se pudesse produzir a energia eléctrica necessária aos trabalhos mineiros e iluminação das povoações próximas.

Tudo leva a crer numa vantajosa exploração destes jazigos desde que um competente engenheiro de minas faça o estudo de plano de lavra e das instalações a construir, e dirija eficientemente a exploração mineira.

4. Notas Sobre o Jazigo de Caulino de Vegas de Matute (Segóvia).
A. Bernardo Ferreira ; J. Guimarães dos Santos ; J. de Almeida Penha (25 páginas)

5. Resumo da Actividade do Serviço de Fomento Mineiro Durante o Primeiro Semestre de 1946.
(5 páginas)

6. Um Achado Romano – Lucernas.
L. de Albuquerque e Castro (3 páginas)


Contacto

Email: venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone: + 351 210 924 635


 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com