2678
PT LOGIN LOGIN
Vol. XVI, Fasc. 3/4 (1963)

Vol. XVI, Fasc. 3/4 (1963)


Vol. XVI, Fasc. 3/4 (1963)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 1960 a 1969

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Engº João Lopes Guimarães dos Santos.
(2 páginas)

2. Matérias-primas Minerais Não Metálicas. As Areias Pliocénicas de Barosa (Leiria).
A. J. R. Lapa (22 páginas)
Resumo: As areias de Barosa (Leiria), provenientes de um depósito pliocénico englobado nas «formações marinhas de Monte Real», constituem pelas suas características uma das melhores ocorrências de areias brancas de Portugal metropolitano.No presente trabalho o autor começa por caracterizar geologicamente aquela formação e, posteriormente, descreve os ensaios efectuados e expõe os resultados dos mesmos. Com base na análise granulométrica, no teor em argila, no índice de finura AFS e nas análises morfoscópica, mineralógica e química, o autor refere-se à possível utilização desta matéria prima na indústria e à beneficiação que em certos casos, esta deverá sofrer.

3. Moagem Autogénea.
H. Maia e Costa (22 páginas)
Resumo: A moagem autogénea, é uma técnica em que se procura realizar, num só aparelho, os estágios de britagem, granulação e moagem de uma fragmentação clássica.Neste artigo, procura-se em primeiro lugar estabelecer as bases deste novo processo clássico, indicando as principais diferenças. Em seguida, comparam-se entre si os aparelhos existentes (Cascade e Aerofall) e os respectivos circuitos de classificação.
Faz-se uma referência à moagem autógena em água e trata-se com maior desenvolvimento a moagem a seco, indicando-se os principais parâmetros de regulação a considerar. Em «Anexo» incluem-se esquemas e fazem-se algumas referências a instalações piloto e industriais em laboração.

4. Os Minérios do Jazigo de Pb-Zn-Ag de Terramonte (O Problema da Ocorrência da Prata).
Orlando da Cruz Gaspar (16 páginas)
Resumo: Neste trabalho, faz-se o estudo microscópico e roentgenográfico dos minérios de Pb-Zn-Ag do jazigo de Terramonte, sito na freguesia da Raiva do distrito de Aveiro. O problema mais importante é o da ocorrência da Ag no jazigo, verificando-se que ela é devida à presença de diversos sulfossais de Ag, Pb e Sb geralmente inclusos ou sob a forma de exsoluções na galena.Foi grande o número de espécies minerais determinadas, indicando-se, por ordem decrescente, a frequência com que ocorrem: galena, blenda, jamesonite, bournonite, pirargirite, tetraedrite, marcassite, argentite, arsenopirite, pirite, polibasite, miargirite e calcopirite. Alguns dos minerais, que ocorrem em finas pontuações ou bastonetes orientados na galena são de difícil identificação pelo seu tamanho, mas são, sem dúvida, de sulfossais de Ag e em grande parte os responsáveis pelos teores elevados de Ag que o jazigo de Terramonte apresenta. Como a pirargirite e a tetraedrite, ocorre, incluso na galena, um mineral com poder reflector idêntico ao desta, mas com tom esverdeado. Tem dureza de polimento inferior ao da galena, pleocroísmo bem visível e anisotropismo relativamente elevado. Ocorre associado, em grande parte, à pirargirite. Não foi possível determinar, com certeza, este mineral – pois a quantidade em que ocorre não permite ensaios roentgenográficos, aguardando-se o estudo pela microsonda electrónica.
As propriedades ópticas aproximam-se também das da freieslebnite, sem que se possa afirmar, contudo, que se trata deste mineral. As estruturas e as relações paragenéticas observadas identificam-se com as referidas habitualmente para jazigos plutónicos mesotermais de Pb-Zn-Ag.

5. Relatório do Serviço de Fomento Mineiro do Ano de 1962.
J. L. Guimarães dos Santos (58 páginas)


Contacto

Email:  venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone:  + 351 210 924 635


 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com