2684
PT LOGIN LOGIN
Vol. XX, Fasc. 3/4 (1971)

Vol. XX, Fasc. 3/4 (1971)


Vol. XX, Fasc. 3/4 (1971)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 1970 a 1979

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. A Alteração Caulínica do Feldspato de Certos Filões de Rochas Ácidas, Relacionados com o Maciço Eruptivo de Sintra
A. M. Galopim de Carvalho ; C. A. Matos Alves ; L. Serrano (10 páginas)
Resumo: Identificação e caracterização por meio de análises térmica diferencial, termogravimétrica, de difractómetria de raios-X e química do mineral argiloso (caulinite) resultante da alteração de filões relacionados com o maciço eruptivo de Sintra.

2. Contribuição para o Conhecimento do Jazigo de Caulino de Alvarães (Viana do Castelo)
Luís Serrano (62 páginas)
Resumo: Neste trabalho dão-se os primeiros resultados mineralógicos e químicos sobre o jazigo de caulino de Alvarães (NW de Portugal). É constituído na sua maior parte por caulino residual que se encontra coberto por um depósito de terraço caulinítico. O caulino é constituído por caulinite muito bem cristalizada (3 T) acompanhada por moscovite (polimorfo 2 M1) e quartzo a que se associa por vezes um feldspato do tipo albite-oligoclase.As reservas em caulino lavado, da parte sondada, avaliam-se em 1500000 toneladas. O caulino apresenta boas características refractárias a juizar pelo grau de refractariedade e é possível que venha a desempenhar um papel importante na indústria do papel como se pode depreender do grau de brancura da fracção inferior a 325 mesh.

3. Dosagem do Tungsténio por Absorciometria
D. Mendes Boga ( páginas)
Resumo: Faz-se referência à determinação, por absorciometria, de teores muito baixos de tungsténio em minérios e rochas.

4. The Chitado (SW Angola) Meteorite
M. Portugal Ferreira ; Orlando da Cruz Gaspar ; N. McRae (26 páginas)
Resumo: O estudo diz respeito a um meteorito caído no Chitado, Sudoeste de Angola, em 20 de Outubro de 1966. A mineralogia e textura deste meteorito foram estudadas por:

    1) Microscopia de luz reflectida, que compreendeu a determinação de reflectividades e microdurezas Vickers das fases metálicas.
    2) Microscopia de luz transmitida que permitiu, para além da identificação das fases, a definição da fábrica da matriz e de alguns côndrulos;
    3) Difractometria de Raios-X que evidenciou a homogeneidade das fases, permitiu classificar alguns minerais acessórios e a fábrica dos côndrulos;
    4) Por microssonda electrónica para a determinação da composição da olivina, ortopiroxena, plagioclase, espinela cromítica, taenite, Kamacite e troilite.

A análise química do meteorito, feita por via húmida, foi usada em conjunto com os dados da composição das fases, para classificar o meteorito de Chitado como pertencente ao grupo químico H e tipo petrológico 6.

5. The Metallogenetic Consequences of Plate Tectonics and the Upper Paleozoic Evolution of Southern Portugal
Adalberto Dias de Carvalho (24 páginas)
Resumo: Neste trabalho interpreta-se a geologia do Paleozóico superior do Sul de Portugal à luz dos novos conceitos baseados na Tectónica de Placas. Estabelece-se um esquema paleogeográfico e explica-se a actividade magmática a partir duma zona de Benioff.O autor aborda as implicações que advêm para a Tectónica Global da existência duma zona de subducção activa durante o Paleozóico superior nesta parte do continente europeu. O modelo tectónico proposto explica bem a actividade ígnea observada. As rochas vulcânicas são predominantemente félsicas e as rochas intrusivas mostram ser progressivamente mais ácidas e mais recentes à medida que se caminha de Sul para Norte na placa continental.
Na segunda parte do trabalho faz-se o enquadramento das várias mineralizações conhecidas no esquema proposto. Salienta-se a correspondência das variações na composição das rochas eruptivas com os diferentes tipos de mineralizações e estabelece-se uma tabela classificativa segundo o modelo de Y. A. Bilibin. De entre as rochas eruptivas sobressai com grande relevo o grupo dos pórfiros e rochas afins com suas ocorrências de cobre.
Após uma análise da sua posição geotectónica e por comparação com dados actuais referentes aos jazigos do tipo porphyry copper, o autor conclui que aquele grupo de rochas pode estar ligado a jazigos de cobre com interesse económico.


Contacto

Email: venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone:  + 351 210 924 635


 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com