2686
PT LOGIN LOGIN
Vol. XXI, Fasc. 3/4 (1972)

Vol. XXI, Fasc. 3/4 (1972)


Vol. XXI, Fasc. 3/4 (1972)Categoria: Publicações, Estudos, Notas e Trabalhos, 1970 a 1979

15.90

O preço inclui IVA à taxa legal em vigor.

Descrição

Artigos

1. Breve Estudo de Biostratigrafia Planctónica do Oligocénico-miocénico da Bacia do Cuanza (Angola – África Ocidental)
M. M. J. Meijer ( páginas)
Resumo: O estudo biostratigráfico de mais de uma dezena de sondagens na fossa miocénica, na parte noroeste da bacia do Cuanza, bem como de algumas sondagens nas estruturas exteriores à fossa, permitiu pôr em evidência a presença de 9 biozonas planctónicas em Angola, na sequência oligocénica-miocénica.Tendo-se feito este estudo quase exlusivamente a partir da observação de detritos de perfuração, foi necessário estabelecer os limites entre as zonas com base na última presença de uma associação, ou de uma espécie, o que se opõe à primeira aparição, no sentido geológico normalmente utilizado na biostratigrafia internacional.
Disto resulta que as unidades biostratigráficas aqui propostas se encontram, por vezes, em posição deslocada relativamente às da divisão internacional em biozonas. Todavia, o mais impostante dos resultados obtidos é a constatação de que, em Angola, a grande maioria das espécies planctónicas se sucedem numa ordem igual à estabelecida noutros locais, o que permitirá apresentar, no futuro, uma divisão mais precisa em biozonas, que mostre mais claramente as diferenças e semelhanças com a biostratigrafia internacional para esta parte do continente africano.

2. Estudo Sedimentológico e Geoquímico do Quifangondo do Campo de Quenguela Norte Bacia do Cuanza (Angola)
G. G. de Beauregard ; P. Leplat ; P. Masson ; J. J. Menning ; P. G. Overlau ; H. Piérard ( páginas)
Resumo: Apoiados em argumentos sedimentológicos e paleontológicos, nas estruturas sedimentares observadas e no estudo detalhado dos testemunhos e diagrafias dos poços QN21 e QN28 do Campo de Quenguela Norte, os autores propõem um modelo de sedimentação que explica a geometria dos corpos sedimentares reduzindo ao mínimo o papel das falhas na interpretação.Um estudo geoquímico das possíveis rochas-mãe revela a maturação deficiente das Margas Negras devida à falta de afundimento associada a uma relação argila/kerogene pouco favorável.

3. Geologia da Plataforma Continental de Angola
G. Brognon ( páginas)
Resumo: Apresentamos algumas informações sobre a geologia do litoral angolano que se supõem relacionadas com a deriva continental e respeitantes à estratigrafia costeira e seus depósitos salíferos, à petrografia do soco e à actividade vulcânica nessa zona.Formulamos uma hipótese de trabalho que tenta explicar natural e logicamente, a existência das fossas supra e intra-salíferas e fornece uma orientação nova e generalizada para a pesquisa de novos jazigos de petróleo em Angola.


Contacto

Email: venda.publicacoes@lneg.pt
Telefone:  + 351 210 924 635


Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com